terça-feira, 2 de abril de 2013

"Créditos á quem ?"


Após muita repercussão e uma dose de criticas a PEC (Programa de Emenda à Constituição) que garante os direitos trabalhistas das empregadas domesticas entrou em vigor e muito se argumenta sobre a finalidade dessa conquista.  Há muitas controvérsias sobre a aprovação dessa PEC, pois muitos não valorizam e não reconhecem o verdadeiro valor da classe, mais uma coisa podemos afirmar, a única parte satisfeita foram as empreguetes, que além de continuar fazendo o que já faziam, terão seus direitos reconhecidos ainda que seja na obrigatoriedade da lei.

O que mais devemos questionar é por qual via se chegou ao desfecho á situação, sabemos bem que o querido Senado Federal aprova somente leis que satisfaçam seus próprios interesses ou intermediam interesses de outros. Será que não existe algum apelo maior por trás dessa PEC ou algum Órgão Midiático que dita os padrões da sociedade? 

Muito me espanta que há pouco tempo existisse uma telenovela que explorava esse universo de empregadas, onde em um cenário fictício a classe levantava os problemas e os dogmas enfrentados,  abusando do bom humor para enfrentar as situações. Sabemos bem que essa mídia interpola seus interesses alinhados com os interesses governamentais.

Não discordo da Emenda, pois toda classe merece seu reconhecimento e ter seus benefícios condizentes, mais o incomodo é a maneira de como se ocorreu à resolução de tal fato. Quais interesses o Senado queria defender, o seu ou o do seu parceiro (que ajuda a ditar a doutrina massificada e a comandar o país).

Acredito que nesse jogo de interesses o Senado percebeu que seu parceiro estava criando uma situação onde abriria uma brecha para questionamentos, e como a bancada é presidida por nada mais nada menos que o Senhor Renan Calheiros (PMDB), que não perde qualquer oportunidade, logo o Órgão não perdeu tempo e não ficou no vácuo, se alinhando com seu parceiro e aproveitando-se bem da situação para fazer média.

Agora quem não tem nada haver com isso são as empregadas que esculachadas, em muitas vezes passando por situações precárias e miseráveis, sofrendo o preconceito que a classe sofre, devem sim comemorar essa conquista, pois enfim a mídia que elas tanto assistem e consomem pode fazer o sistema jogar a favor, mesmo que o Senado Federal tenha levado o crédito por isso mais uma vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário